20 PASSOS PARA SE TORNAREM (MAIS) MINIMALISTAS

março 07, 2016


A pergunta é recorrente, como começou, porque começou, o que fez com que... as pessoas tendem a questionar por dois motivos, na sua generosa maioria pela pura curiosidade de querer identificar as diferenças e o que faz com que se construa uma definição de determinada identidade enquanto estilo ou mero lifestyle ou ainda, numa segunda abordagem, de modo a reconhecer os factos que motivaram as acções com o fundamento de compreender e apreender métodos e formas de o aplicar em si mesmas. Hoje falamos desta segunda categoria de gente, as pessoas que nos questionam por puro interesse de não saber por onde começar ou como implementar alguns dos, chamemos-lhes, princípios do minimalismo, e foi a pensar nelas que eu decidi elaborar uma lista de trinta passos, sem qualquer obrigação de realização de todos, ou um restrito seguimento numérido delas, antes, um estabelecer de prioridades, uma chamada de atenção, um realce, uma coerência... a ideia é iluminar-vos um pouco mais, deixar-vos aquela dica, quem sabe, ajudar-vos!


1. Primeiro dos primeiros factos, pesquisem, seja online ou com acesso a literatura temática relacionada, pesquisem e pesquisem muito, leiam muito, leiam sobre tudo, mais ou menos relacionado, procurem e depois de encontrarem questionem e investiguem mais! A identificação com o estilo não basta, e não será nunca suficiente! A não ser que encarem o minimalismo como uma tendência modista, rapidamente se vão fartar e mandar tudo a fava!

2. Usem as plataformas disponíveis e associem-se a causa! Isto dito assim até parece que vamos defender o principio mais nobre da humanidade, mas a verdade é mesmo essa, se é para nos comprometermos a algo justifica o trabalhozito extra de procurar grupos, foruns ou outro qualquer meio de agrupamento de pessoas que partilhem do vosso mesmo gosto. Ajuda a compreender outras realidades, outros meios de viver e encarar o minimalismo, assim como as artimanhas individuais e modos de ajuste de cariz pessoal de cada um.

3. Criar um plano, delimitar os vossos objectivos, onde querem chegar com isto. Qual o vosso problema? Qual a vossa ideia? Até onde estão dispostos a ir? Quando é que vai chegar? Toda a mudança têm um fundamento. Não têm que ter resposta para todas as questões que vos possam surgir mas convém manter em mente as mesmas para encarar a evolução que vai surgindo, compreender até a frustração que possa ocorrer momentaneamente e com capacidade para se afastarem arranjar solução. Por fim, absorver os benefícios com todo o mérito e parabenização merecida.

4. Não deixem para amanha. Agora é o momento, já sabem mais do que sabiam antes, e nenhuma momento será melhor do que o agora. Toca a mexer! Melhor do que planear semanas exaustivas de dedicação á arrumação e organização de tralhas é de facto aproveitar os momentos mortos e tempos intremédios a outras tarefas para adiantar qualquer coisinha!


5. Mantenham em mente que não ha forma possivel de falharem, ninguem esta aqui para se comparar com ninguem, e quanto mais eficientes tiverem sido no vosso primeiro passo desta lista, melhor compreensão terão do facto de que ninguem chegou ao que é da noite para o dia! A ideia é ficarem ainda mais felizes com vocês mesmos e não tristes e frustados ou desmotivados e a sentirem-se mal, pensem em todo o bem das doações que fazem, os beneficios do espaço que ganham, a eficiencia e optimização do vosso espaço, busquem motivação em todas essas coisas e sempre que não ficarem satisfeitos com algo analisem e se for preciso, repitam as vezes necessárias até estar do jeito que vocês querem e nao do modo como viram numa bonita foto do pinterest! Inspirem-se e não se limitem a copiar!

6. Acima de tudo sejam realistas. É quando começam a tirar caixas e caixinhas e mais caixotes para o meio do quarto que elas mordem! É ai que vocês se vão questionar infinitas vezes onde é que estavam com a cabeça quando decidiram destralhar um simples metro quadrado de área da casa! Compreendam que as vossas metas originais podem ser irreais, desajustadas, ou apenas não suficientes. Não tenham medo ou ansias de rever os vossos objectivos, reforçando a ideia de que nada do que já arrumaram ou escolheram até agora esta dado como terminado!

7. Dei por mim várias vezes a voltar ao passo um desta lista, voltei a pesquizar temas mais especificos, soluções de arrumação mais eficientes sempre que as que escolhi não funcionaram ou não chegaram, procurei inspiração em todo o lado e mais algum e como isto leva tudo muito tempo ai têm a vossa certesa de que não é em meia duzia de tardes que vão despachar o assunto!

8. Os próximos três passos funcionam simultaneamente, olhem a vossa volta e identifiquem três coisas, primeiro os vossos excessos, e não acredito que não os haja, todos temos a nossa costelinha de acumulador e damos ocasionalmente uma facadinha no racional e ponto 1. ou nos esquecemos e compramos a dobrar, triplicar e por ai fora, admitindo ainda alguma insistencia do argumento faz-me falta, ponto 2. guardamos na esperança de um dia, aquele dia que nunca chega, nunca vai chegar, assumam o facto, ou ponto 3. colocamos sentimentalismo até na peúga orfã, tudo se torna especial na hora do ir sem a necessária dose extra de coerência neste momento, reservem um espaço para as memórias, a caixa da tulha que leva de tudo um pouco mas sejam implacáveis na hora de escolher o que fica!


9. Segunda coisa a identificar, o vosso limite, seja um numero de items por limite pessoal que querem impor, o espaço que têm para arrumar e que desacreditem-se não vai crescer por milagre ou ainda o limite consciente de quem sabe o que realmente precisa e o que quer que fique apenas!

10. Terceiro e mais importante, o essencial, priorizem as coisas a que recorrem constantemente, novas ou velhas, reformem-nas se preciso for, comprem novo e substituam, mas se são coisas que vos são uteis mantenham-nas acima de tudo o resto!

11. As listas são as vossas melhores amigas, isso e as etiquetas, rotulem tudo e não confiem apenas na memória, as coisas tendem a crescer, a duplicar caixas e sendo esta uma tarefa evolutiva o mais normal é que não só se esqueçam onde está como que a têm! As listas ajudam muito na hora de criar prioridades e valorizar as coisas que gostamos e precisamos!

12. Sejamos coerentes mas não sejamos radicais, ser implacável é diferente de ser radical. Se radicalizarem vão acabar por se arrepender, comprometer o processo e criar fustrações desnecessárias. Não dificultem ainda mais um processo que por si já não é linear!


13. Organizem-se por secções e não tentem arrumar tudo de uma vez só, escolham por onde começar, seja pela estante com os livros o que automaticamente levará a arrumar a secretária e provavelmente o movelzinho auxiliar onde arrumam e arquivam tudo e alguma coisa, ou iniciem pela cómoda em conjunto com a mesa de cabeceira o que levará a continuarem com o roupeiro ou o armário na casa de banho onde guardam produtos de beleza e afins! Eu vou confessar que comecei pelo arquivo morto no final do mestrado, eliminando tudo o que não valia a pena, nunca tinha usado ou que havia em duplicado em papel e digital, dai passei para os livros na estante em conjunto com a secretaria e as caixas de arrumação e gavetas onde guardo coisas de costura e materiais de arquitectura.

14. Não tentem atalhar, não caiam na tentação do facilitismo e mantem sempre os objectivos em formato de lista a mão! Foco minha gente, muito foco nesta hora!

15. Toda a gente vai comentar e ter muito a dizer sobre o que estão a fazer e acreditem que não vão ser bonitas nem agradáveis, não vai haver ninguem para se oferecer a ajudar mas vai haver muita gente para critica o que estão a fazer, como estão a fazer e o porquê do que estão a fazer... façam orelhas moucas! Ignorem, façam cara de paisagem e sorriam, mandem mentalmente aquele sitio as pessoas e continuem na batalha! As unicas pessoas que interessam aqui são vocês, já estao satisfeitos? Não? Então continuem, estão no bom caminho!

16. Congratulem-se sempre pelo que alcançam, parece sempre pouco, mas é muito! Rapidamente nos adaptamos ao mais espaço, ao lugar das coisas, e facilmente nos esquecemos de como tudo estava antes! Pode ate tornar-se viciante, eu dou por mim em continuo processo de minimizar, despachar coisas que afinal já nao uso tanto, ou conheço quem queira, ou quem precise a minha volta!


17. Ao inicio o tempo livre para desfrutar não vai ser muito, a mudança vai consumir muita da vossa disponibilidade, instigar até alguma irritabilidade e mau humor, mas pouco a pouco tudo passa a fazer parte da vossa normalidade, do vosso quotidiano, e acreditem que vão desfrutar de mais momentos bons e de liberdade!

18. Existe uma regra única, uma única coisa que vão ter que manter sempre presente quando vos passar pela cabeça a mais leve ideia de comprar algo! Isto faz-me falta? Sim, leram bem, eu preciso mesmo disto? Para que serve? Onde vou usar? Já tenho? Tenho semelhante, cumpre a mesma função? Tal como fazem listas de supermercado façam listas de aquisição de tudo o resto e revejam bem a essencialidade desse bem! Mantenham-se longe de promoções, saldos e outras pechinchas afim a não ser que façam parta da vossa lista!

19. Quando falo em destralhar não me refiro apenas a tarecos e trapos! Diminuam tudo na vossa vida, eu ataquei ferozmente os discos externos, o histórico de páginas e sites, reorganizei tudo nos sítios certos, retirei o meu contacto da maioria dos sites que diariamente nos bombardeiam com publicidade, promoções teoricamente imperdiveis mas tecnicamente mais do mesmo!

20. Parece ligeiramente loucura referir que o minimalismo material pode de algum modo afectar a vossa alimentação mas é verdade, seja porque a minha vontade de menos, mais facil, mais simples, mais puro, mais racional, era grande, ou porque as situações ocorreram simultaneamente e em parte parece tudo o mesmo, a verdade é que eu mudei também a minha forma de estar nesta área, eliminei todas as comidas processadas ou quase, foco-me diariamente em comer o mais próximo de uma dita alimentação paleo e sinto-me muito bem com isso. Gosto muito de referir em resposta a alguns comentários de pessoas a minha volta que para mim a comida é um combustível e não uma terapia!


Será que depois de tantos argumentos, ajudas e algumas dicas pessoais, tambem vocês se encontram mais motivados a implementar algum “minimalismo” na vossa vida?

---
Photos: Pinterest

You Might Also Like

2 REPLY

  1. Implantei o minimalismo ha mais de 3 anos e posso dizer que a minha vida mudou por completo ! Nao voltava a traz por nada, e nao ha nada do qual me arrependa de retirar da minha vida !
    Adorei ler este post :)

    Sophie.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz Sophie que tenhas gostado! Eu as vezes perco-me um bocado nas palavras mas acho que consegui mante ro sentido e a orientação ;) espero ajudar quem procure sobre o tema!
      Um beijo,
      Salome

      Eliminar

Participa com a tua sugestão ou comentário e não te esqueças de seguir a página no facebook, twitter e instagram para estares sempre a par das novidades! Obrigado pela visita. Salomé

Popular Posts

Like us on Facebook

Follow us