THE MINIMALIST TAG: LIVING WITH LESS

março 30, 2016


As semanas em que a preguiça tem apelado persistem. Esta semana repetiu-se. A ingrata rogativa de não me apetece fazer nenhum para o blog não ganhou mas deu ares de sua graça. Bitch! Sem factos que argumentassem a favor da victoria do dolce far niente, que remédio houve do que fazer. Apesar dos pesares o meu cérebro decidiu atalhar... ginasticou entre o planeado, empurrou dois ou três sticky note na agenda, e entre a psicológica urgência de ir gastar sola para o vasco da gama apresentando premissas justificativas de que precisava de gastar dinheiro em duas coisitas, alegadamente URGENTES, not... really not, deixou para as ultimas o grosso das tarefas. But guess what, o trabalho não se faz sozinho, e quem é que se lixa preguiça, quem é? Há pois! Não vale apelar com a ávida vontade viceral de terminar o paper em que ando literalmente enterrada no ultimo mês, quatrocentas e mais umas tantas folhas de pura tortura mental que eu anseio por dar como finita. A motivação é pouca e há trabalhos que invocam ainda menos o ânimo. Reservados os últimos dias mensais para actualizar o blog com as temáticas da praxe que antecedem rotineiramente o fechar do mês, apeteceu-me estravazar um bocadinho e incluir uma tag, até parecia mal não se falar de minimalismo esta semana, não? Que tal então uma tag minimalista? Soou-me a perfeição e não havendo apetites maiores para rebater o alinhamento das circunstancias... bora lá sorrateiramente gamar as perguntinhas chave da dita num qualquer estaminé online, dando graças porque são apenas seis, e venha de lá a sua resposta!

What drew you to minimalism? // Esta é facil e já falei dela aqui. Sentia-me pesada e subterrada por tudo e todos a minha volta, decidi dar dois berros e mandar tudo a fava. Acho que resume. As coisas pesavam-me e eu não sentia necessidade de metade delas. Foi um acumular de tudo e para o bem e saude da minha propria sanidade algo necessitava ser feito. Se eu queria que a minha vida tomasse um novo rumo com uma nova perspectiva tambem o meu dito habitat tinha que sofrer transformações drásticas semelhantes.

How did you start the de-cluttering process? // Acabei o mestrado e entrei em modo tese. Dei-me conta que os anos de faculdade tinham deixado demasiado trabalha, guardada originalmente com o pressuposto de rever ou usar em caso de necessidade, uma vez mostrada a sua prescindibilidade criou-se o mote de inicio do destralhar. Simplifiquei tudo ao essencial, cópias unicas e dano primasia a formatos digitais! Dai passei rapidamente a material de atelier, roupas e pertences pessoais. 

Have you ever counted all your things? If so, how many things do you own? // Esse nunca foi o objectivo. Ter um determinado numero de items ultrapassa a meta do essencial enquanto funcional e cria um limiar de radicalismo que para mim não faz sentido. Não quero criar uma obcessão tão grande que me limite o disfrutar do espaço, da normalidade, e de toda a capacidade de ter um bocadinho mais do que o estritamente utilizavel e poder dar-me a esse luxo porque posso e quero. É um continuo evoluir este meu minimalismo e sinto que o espaço, dado como finita a primeira grande limpeza, necessita agora de uma nova revisão. Uma análise sobre as coisas que julguei inicialmente serem o essencial e que agora consigo de modo melhor, mais critico, avaliar como não sendo assim tão especiais!

What are your tips for dealing with the desire for more? // Não exagerem. Não comprometam o vosso bem estar a favor de uma ideia. A ideia existe porque existe a necessidade. Não há mal em concluir que afinal estavamos errados nas nossas originais premissas. Há sim que fazer uma pausa antes de decidir. Dar tempo ao tempo. A não ser que sejam tão desorganizados criando uma situação que exigia solução para ontem, amadureçam essa ideia. Pensem no objecto, avaliem os beneficios e digam sim a tudo, até aqueles pontos que vocês sabem tão bem estarem a ser tomados como positivos só-porque-sim-porque-eu-quero-mando-e-posso... digam sim a esses tambem. Mas pesem o não em todo o seu real impacto. É tudo uma questão de equilibrio. Podem muito bem acabar por concluir pelo sim e darem-se a esse luxo. Ou ainda até mudar de ideia, bastar-vos como solução algo que já possuem e não tinham considerado como possibilidade! O impulso será o vosso pior inimigo. Afirmo que todo o minimalismo diminuiu drasticamente os meus niveis de ansiedade em geral!

How do you deal with non-minimalists in your life? // Do mesmo modo que lidamos com todas as opiniões divergentes ás nossas. Não pensamos todos do mesmo modo, não temos as mesmas necessidades, ambições ou desejos. O meu essencial não é o teu essencial. As opiniões partilhadas não devem influencia de modo algum os relacionamentos. Como em politica e religião, o melhor é não debater entre amigos ou familiares, a malta chateia-se e ninguem sai a ganhar pela razão!

Do you have any guilty pleasures where minimalism doesn’t apply? // Eu vejo o meu minimalismo como um método para me descomplicar. Eu como pessoa reconheço que ao reduzir as minhas ferramentas ao minimo, funcional e essencial, reduzo a minha capacidade de complicar as tarefas e principalmente os raciocinios. Funciono melhor com menos. Consigo ser mais concisa, mais qualitativa e menos quantitativa. Consigo superar-me e obter melhores resultados. Logo faz-me mais feliz! 


Espero não parecer um tanto quanto louca quando abordo estas temáticas, mas sendo que no inicio do ano referi por multiplas ocasioes que queria tornar o blog mais pessoal, com temáticas que gosto e que fazem parte dos meus interesses, partilhando o meu conhecimento e opinião sobre os mesmos com quem me lê... acho que faz sentido. Concordam? Discordam? De que opinião partilham?!

---
Photos: Pinterest

You Might Also Like

2 REPLY

  1. Gostei de ver as tuas respostas a esta TAG =)
    Tambem ja tinha respondido a ela no meu blog ha um tempo, se quiseres podes ver aqui as minhas respostas (http://www.thetomorrowatdawn.com/2014/12/the-minimalist-tag.html)
    Eu fico super contente por saber que ha mais alguem a começar a adoptar este estilo de vida minimalista! E mal posso esperar por ler mais =)

    Sophie.

    ResponderEliminar

Participa com a tua sugestão ou comentário e não te esqueças de seguir a página no facebook, twitter e instagram para estares sempre a par das novidades! Obrigado pela visita. Salomé

Popular Posts

Like us on Facebook

Follow us